quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

William Craig e suas falácias, que ele chama de argumentos, pra justificar a crença em deus



Falácia 1: contingência: se existe algo ao invés do nada, logo, deus existe? kkk
Falácia 2: cosmologia Kalam: deus é a melhor explicação (ele desconsidera outros deuses de outras religiões)
Falácia 3: design: ajuste fino de condições iniciais (conceito de perfeição e beleza são abstratos e subjetivos)
Falácia 4: moralidade: a moral não é objetiva e nem divina. Somos seres sociais. A moral é biológica e evolutiva!
Falácia 5: ontológico: a possibilidade da existência de deus implica sua existência. WTF? Só rindo dessa! kkk
Falácia 6: experiência pessoal: todos os crentes de outras religiões dizem ter experiências c/ seus respectivos deuses.

Com esses argumentos, Craig pode supor, no máximo, que há um criador, mas jamais que é o deus onifodão judaico-cristão.
Se for assim, um muçulmano, hindú, rastafari, budista poderá usar os mesmos argumentos de Craig, só que para justificar seus respectivos deuses.
Ou seja: Craig ainda precisa provar que o deus dele é o correto, se é que há um deus.

Enfim, Craig fala muito e fala bem, mas não consegue provar nada com seus argumentos! Próximo...

44 comentários:

  1. Resumindo, ele está fazendo um trabalho, onde ele junta todas as hipósteses já malhadas por outros pseudo-estudiosos e que não possuem a menor possibilidade de verificação, baseadas apenas em sentimento e não em lógica e coloca isso como sendo a conclusão da tese que vai mudar o mundo e dar base para sustentar a existência de um personagem de fantasia. Caramba, que frase enorme.

    ResponderExcluir
  2. Muito raso! Não o Craig, vc. As suas refutações são de alguém não crê em Deus ( ACHO rs ).
    Dizer que são argumentos falhos e contraditórios é fácil, provar que são falsos é o problema para o ateísmo.

    Como já disse: O ATEÍSMO QUER TORNAR DEUS ( JAVÉ ) DESNECESSÁRIO, POIS NÃO CONSEGUEM PROVAR A SUA NÃO EXISTÊNCIA.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc consegue provar que são verdadeiros ?

      Excluir
    2. Vc está sendo repetitivo. Além do quê, vc já sabe a resposta para esta pergunta. O fato é, ninguém pode provar a inexistência de um ser inventado. EU garanto à você que duendes ladrões de gelatina rosa, invadiram o armário da minha cozinha e levaram todas as gelatinas rosa e laranja, só deixaram as roxas e verdes. É a minha palavra. Vc nunca vai conseguir provar que os duendes não roubaram minha gelatina, no entanto, eu posso provar que as comprei e que agora elas já não estão no armário.

      Excluir
    3. Mas vc não tem nenhum argumento válido para provar isso da forma que Craig listou seus argumentos.

      Excluir
    4. Eduardo, com esses argumentos, Craig pode supor, no máximo, que há um criador, mas jamais que é o deus onifodão judaico-cristão. Se for assim, um muçulmano, hindú, rastafari, budistas poderão usar os mesmos argumentos de Craig, só que para justificar seus respectivos deuses. Ou seja, Craig ainda precisa provar que o deus dele é o correto, se é que há um deus. Olha só o argumento ontológico dele: "a possibilidade da existência de deus implica sua existência". Da onde ele tirou isso? Possibilidade de existência não implica existência. Há a possibilidade de haver um sorvete no congelador da minha geladeira. Isso não implica que há um sorvete no congelador da minha geladeira. Mesmo se houver, há uma infinidade de possibilidades de sabor: creme, chocolate, morango... Quem garante que já um sorvete na minha geladeira? E quem garante que é o meu sabor preferido? Consegui refutar esse argumento de Craig?

      Excluir
    5. Como sei que não há um sorvete lá? Pq não tem!
      Como já falei, acreditamos na existência de Javé e esses pontos são amarrados apenas ao NOSSO DEUS. Como? Jesus existiu e foi provado historicamente, arqueologicamente. Sendo assim também a sua ressurreição. Mesmo que nossos argumentos em apontar a existência do nosso Deus falhem, isso não significa que Ele não exista

      Excluir
    6. Haha, se fudeu! Na minha geladeira tem um sorvete! Agora tente adivinhar o sabor. Será que é sabor "Javé" ou sabor "Jah"? Talvez sabor "Allah"...
      Os pontos são amarrados apenas ao seu deus porque está na sua bíblia. Assim como os pontos de Shiva estão bem amarrados no Bagavhad Gitá e os pontos de Allah bem amarrados no Corão. Maomé também é provado historicamente.
      Agora, dizer que a ressurreição de Jesus foi provada arqueologicamente? KKKKKKK. Como?
      Se seus argumentos falham, ou vc é ruim de argumento ou realmente seu deus não existe. Argumentos sólidos são irrefutáveis. A evolução, por exemplo, é um fato, não importa a quantidade de pessoas que acreditam e qual seja a opinião, um fato não muda por causa de sua crença. Evolução = isso sim é provado pela arqueologia.

      Excluir
    7. A ciência não explica tudo. "Atkins"

      Excluir
    8. Mudando de assunto? Sim, a ciência não explica tudo. E sua função nem é essa... Ela não tem que explicar tudo.

      Excluir
    9. Jesus existiu e foi provado historicamente e arqueológicamente ???? Como ??? Quando ??? Por quem ???

      Excluir
    10. "O ATEÍSMO QUER TORNAR DEUS ( JAVÉ ) DESNECESSÁRIO, POIS NÃO CONSEGUEM PROVAR A SUA NÃO EXISTÊNCIA."
      Veja que brilhante argumento Eduardo citou: a inversão do ônus da prova.
      Essa falácia é tão manjada que eu tenho pena do Ateu Ignorante e de Larrocaya Senni, que perderam tempo tentando ensinar uma cobra a voar.

      Excluir
    11. Jordan, você consegue provar a não existência de Alá, de Buda, de Jah, de Shiva, de unicórnios e fadas? Fique à vontade...

      Excluir
  3. Se os outros deuses fossem mais sólidos que o Javé, vcs pegariam mais no pé deles.
    A ciência NUNCA explicou tudo!
    Nada não pode ter surgido do nada. A ressurreição foi provada historicamente.
    Os ateus se sobressaem por causa das coisas visíveis ( as quais não me fazem acreditar que Deus não exista ). Usam argumentos redundantes apontando pra outros deuses pra tornar o Javé inexistentes. Se aproveitam dos erros neo pentecostais pra criticar o cristianismo no geral. Ou seja, vcs vivem de criticas e não de realidade. Pq vcs acham que as nossas premissas são falsas? Pq vcs são ateus e fanáticos. Qual a razão da vida? Qual a razão dos valores morais objetivos se tudo veio do nada?
    Vcs falam que sofremos uma lavagem cerebral e que somos alienados. Vcs não se acham prepotentes e superiores?
    Vcs são! Não preciso ver para crer!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Javé não é um deus sólido... é gasoso. Se fosse sólido, estaria aqui para vermos e tocarmos. Como é gasoso, não dá pra ver, nem tocar... mas segundo a bispa Sonia... dá para cheirar, pois ela lançou um perfume com cheirinho de JC.

      Excluir
  4. "Se os outros deuses fossem mais sólidos que o Javé..."
    - Mas pra quem crê neles, eles são mais sólidos que Javé. Eu pego mais no pé de Javé porque no Brasil a grande maioria crê nele. Mas tenho amigos judeus e discuto com eles sobre a não-crença deles em Jesus. Não é questão de solidez divina. É questão de quantidade de crentes nele no Brasil. Só isso. Se fosse na Índia, eu "pegaria no pé" dos hindús.

    "A ciência NUNCA explicou tudo!"
    - Nem vai, pois não é essa a função dela. Não há aqui um embate ciência vs cristianismo. Vc que disse que a arqueologia (ciência) prova a ressurreição de Jesus, o que é mentira.

    "Nada não pode ter surgido do nada."
    - Por que não? E seu deus fez tudo a partir do que? Do nada?

    "A ressurreição foi provada historicamente."
    - Não, não foi! Se foi provada, me mande um link com um texto provando...

    "Os ateus se sobressaem por causa das coisas visíveis"
    - Claro que não. Várias coisas invisíveis podem ser provadas.

    "Usam argumentos redundantes apontando pra outros deuses pra tornar o Javé inexistente"
    - Se todo deus diz que ele é o único, tem alguma coisa errada aí, no mínimo. Cabe a quem se diz único se provar único.

    "Se aproveitam dos erros neo pentecostais pra criticar o cristianismo no geral"
    - Católicos também erram pra caramba. Aliás, vc não deve ser nem católico e nem neopentecostal, por isso se acha melhor que eles? Acha que não erra? Que sua interpretação é melhor que a deles? Baseado em que?

    "vcs vivem de criticas e não de realidade"
    - Um cara que crê em cobras e jumentos falantes falando em realidade? Tudo que é real pode ser provado.

    "Pq vcs acham que as nossas premissas são falsas?"
    - Preciso explicar mais? São as mesmas premissas usadas por crentes de outras crenças, a começar por aí.

    "Pq vcs são ateus e fanáticos"
    - Ateu sim, fanático não.

    "Qual a razão da vida?"
    - Cada um que dê razão à sua própria vida. No momento, minha filha e minha esposa são a razão da minha vida.

    "Qual a razão dos valores morais objetivos se tudo veio do nada?"
    - Não há relação entre valor moral e tudo ter vindo do nada. Valores morais não são objetivos. Variam de cultura para cultura. Somos seres sociais e sabemos o que é certo e o que é errado. Hindús e budistas têm valores morais sem crer no seu deus.

    "Vcs falam que sofremos uma lavagem cerebral e que somos alienados. Vcs não se acham prepotentes e superiores?"
    - Vc quem tá dizendo... mas pra crer em cobras e jumentos falantes, ou vc fumou unzinho ou tá bem alienado...

    "Vcs são! Não preciso ver para crer"
    - Me acusando do que vc não gostaria de ser acusado? Belo exemplo de cristão vc é...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Claro, crente não pode errar, por isso que sou um mal exemplo de cristão.

      Excluir
  5. Você já começa errando nos argumentos...
    Aliás, aonde diz na sua bíblia que crente não pode errar?

    ResponderExcluir
  6. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  7. As nossas premissas nunca foram usadas por outras religiões.
    Quando os valores morais não são objetivos, são relativos. Ou seja, valores culturais são relativos e não objetivos.
    Li uns textos do Atkins e fiquei temeroso trazendo em relação aos valores morais.
    A bíblia consegue trazer coisas atuais. Vide mateus 24 e outras profecias. Pq não acreditar num jumento? Vcs acreditam num nada, acreditamq vão virar uma linda árvore. Legal né?
    A premissa dos ateus sim são falhas

    ResponderExcluir
  8. "As nossas premissas nunca foram usadas por outras religiões."
    - Pesquisa no Google o criacionismo sob o ponto de vista de outras crenças e verá que eles usam do mesmo argumento de um ser superior, divino, criador de todas as coisas, a partir do nada. Aliás, os cristãos é que usaram das premissas de outras crenças, principalmente a judaica.

    "Quando os valores morais não são objetivos, são relativos. Ou seja, valores culturais são relativos e não objetivos."
    - Sim. Exatamente. Tudo é relativo, já dizia Einstein. Me mostre um valor moral objetivo?

    "Li uns textos do Atkins e fiquei temeroso trazendo em relação aos valores morais."
    - Se la vie! Li a bíblia e também fiquei temeroso.

    "A bíblia consegue trazer coisas atuais. Vide mateus 24 e outras profecias."
    - Me fala uma profecia cumprida na bíblia? Mateus 24 fala de falsos profetas. Mas falsos profetas sempre existiram. Aliás, falso profeta é pleonasmo. Não existe profeta de verdade.

    "Pq não acreditar num jumento? Vcs acreditam num nada, acreditamq vão virar uma linda árvore. Legal né?"
    - Eu não acredito em um nada. Ou eu acredito em um nada tanto quanto você. Se tudo veio do nada ou se deus criou tudo a partir do nada, o nada continua sendo base de ambas as crenças. Essa linda árvore aí eu não sei da onde você tirou. Mas me apetece a ideia.

    "A premissa dos ateus sim são falhas."
    - Quais? Aponte-as e suas falhas.

    - E de novo: aonde diz na sua bíblia que crente não pode errar?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Sei que pode pecar (que é diferente de errar), mas basta se arrepender. Realmente, você é um péssimo cristão!

      Excluir
  9. Esse moleque desmontou o Kalam Argument com uma frase. Refutou os argumentos do maior filósofo cristão com meia dúzia de palavras. Parabéns, você é um 'jênio', Eduardo Cavalocanti! :)

    ResponderExcluir
  10. O cara que escreveu isso é não entendeu e nem soube interpretar o que Craig disse, mas vou te ajudar te mostrando em um ponto onde você errou:.
    ---Falácia 2: cosmologia Kalam: deus é a melhor explicação (ele desconsidera outros deuses de outras religiões) ,
    Ele fala que o argumento cosmológico Kalam, aponta para um ser eterno e imaterial, que no caso ele ACREDITA que seja Deus, o argumento aponta para um ser imaterial, a parte de fé dele não pode ser julgada , porque fé é inerente de cada um, você tem que derrubar o argumento cosmológico, quando você derrubar o argumento cosmológico aí sim você pode chamar de FALÁCIA. Outro ponto importante que você está desconsiderando é que esse vídeo é só a apresentação dos argumentos, a defesa que ele faz de cada uma demora muito mais tempo que 5 minutos, com essas ditas falácias, Craig, colocou no chinelo pessoas como, Peter William Atkins,Christopher Hitchens, entre outros que são muito capacitados, se você quer ver Craig defendendo seus argumentos, veja um vídeo de 2h dele debatendo com Hitchens, aí você tire suas conclusões.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se Craig afirma que deus é a melhor explicação, ele não está dizendo "na minha opinião pessoal, segundo minha fé de crente. acredito ser o deus judaico cristão". Ele está afirmando ser a melhor explicação racional. Por isso é uma falácia. Ele mistura argumentos científicos com a fé pessoal dele quando convém.

      Excluir
    2. Craig bateu Hitchens? No way! Craig é muito ruim. Seus argumentos só convencem quem já está convencido o que, convenhamos, não significa absolutamente NADA. Penso que, dentre os cristãos, o melhor debatedor é o John Lennox [https://www.youtube.com/watch?v=RmiszpiwhYU]. Em minha opinião, o Cristianismo, com suas noções teológicas de “pecado original” (de onde isso saiu, se nunca houve Adão e Eva?) e redenção vicária (um outro vai assumir a responsabilidade por meus “pecados”, bastando que eu acredite no dogma) [http://pensador.uol.com.br/frase/OTQ3NzM0/] é um beco sem saída para o teísmo. É só questão de tempo, agora, e Javé terá o mesmo destino de Zeus. De fato, para que isso acontecesse mais rápido, bastaria que os cristãos lessem a Bíblia. LESSEM MESMO! E entendessem o que está escrito. Mas não. Eles não leem. Nem entendem. Alguém sempre vai ler e interpretar por eles. Seguir, seguir os “profetas” e “pastores”, como boas ovelhinhas obedientes. Jamais questionar o dogma! Eis o verdadeiro cristianismo! Na verdade, eis qualquer “religião”.

      Excluir
    3. Só tem um jeito de Deus se provar real. Ele aparecer de uma vez por todas e mostrar quem é que manda nessa porra toda!

      Excluir
  11. Ainda bem que, pelo menos, esta porcaria de blog é autêntico num ponto: afirma que é IGNORANTE. MUITO IGNORANTE.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Todo mundo é ignorante em algo, Emerson. Ou você sabe tudo de tudo, seu fodão?

      Excluir
  12. TODAS essas críticas infantis ao Craig já foram ad nausem refutadas, inclusive em meu site do Logos. Tenha dó. Neo-ateus e suas papagaiadas simplistas maternais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Refutadas aonde? Qual o link do seu site? Deixa eu analisar e ver se seu site é tão mais fodão assim que a minha "porcaria de blog". Deixa eu ler as papagaiadas simplistas maternais de um neopentecostal que, ao invés de discutir no nível das ideias, fica xingando os outros de "bobo, feio e chato"...

      Excluir
  13. Lamentavel classificar isso como refutadas.
    Falácia 1: contingência: se existe algo ao invés do nada, logo, deus existe? kkk

    Sim, claro que existe Deus ou um equivalente a ele. Se existe algo em vez de nada, logo ele deve ter a qualidade de um equivalente a Deus.

    Falácia 2: cosmologia Kalam: deus é a melhor explicação (ele desconsidera outros deuses de outras religiões)

    Esse argumento fala sobre um deus genérico e não o Deus judaico-cristão, então não refutaram nada.

    Falácia 3: design: ajuste fino de condições iniciais (conceito de perfeição e beleza são abstratos e subjetivos)

    OMG, abstrato e subjetivo? Com certeza não entendeu o que esse argumento quer dizer.

    Falácia 4: moralidade: a moral não é objetiva e nem divina. Somos seres sociais. A moral é biológica e evolutiva!

    Duvido provar que a moral é biológica, e ainda se provar, não irá conseguir provar que não existe moral objetiva. Boa sorte com isso.

    Falácia 5: ontológico: a possibilidade da existência de deus implica sua existência. WTF? Só rindo dessa! kkk

    É se você não entende as premissas então não dá pra fazer nada.

    Falácia 6: experiência pessoal: todos os crentes de outras religiões dizem ter experiências c/ seus respectivos deuses.

    Você não refutou nada aqui, só repetiu o que é o argumento.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Lucas, meu caro. Vamos lá (de novo):

      Falácia 1: claro que existe Deus ou um equivalente a ele. Se existe algo em vez de nada, logo ele deve ter a qualidade de um equivalente a Deus.
      - Por que?

      Falácia 2: Esse argumento fala sobre um deus genérico e não o Deus judaico-cristão, então não refutaram nada.
      - Errado. Craig, como cristão assumido, está sim falando do deus judaico-cristão. Ele não admite a existência de outro deus que não seja o que ele acredita.

      Falácia 3: conceito de perfeição e beleza abstrato e subjetivo? Com certeza não entendeu o que esse argumento quer dizer.
      - Sim. Quem ama o feio, bonito lhe parece. Tem gente que me acha feio. Tem gente que me acha bonito. Quer exemplo maior de subjetividade ao classificar um deus que cria seres imperfeitos, que sente ira, inveja, cansaço, carência e outros defeitos mais, de "perfeito"? Qual é o conceito de perfeição dos crentes?

      Falácia 4: Duvido provar que a moral é biológica, e ainda se provar, não irá conseguir provar que não existe moral objetiva. Boa sorte com isso.
      - Já ouviu falar em dilemas morais? A moral depende da sociedade, do contexto e da época. É moral matar alguém? Você dirá que não. Mas se matar um terrorista prestes a explodir uma bomba que matará centenas, aí é moralmente aceito? Me dá um exemplo de "moral objetiva" e eu posso relativizá-la pra você.
      - Moral é evolutiva porque evolui com o tempo. Basta comparar com outros tempos. A própria bíblia mostra uma certa evolução moral quando comparamos as leis judáicas do VT com as regras cristãs do NT.

      Falácia 5: ontológico: a possibilidade da existência de deus implica sua existência. WTF? Só rindo dessa! kkk
      É se você não entende as premissas então não dá pra fazer nada.
      - Então a possibilidade de existência de vida fora da Terra implica na existência de vida fora da Terra? E a possibilidade de existência de unicórnios? Implicaria sua existência?

      Falácia 6: experiência pessoal: todos os crentes de outras religiões dizem ter experiências c/ seus respectivos deuses.
      Você não refutou nada aqui, só repetiu o que é o argumento.
      - Mas ao repetir o argumento, eu refuto a ideia de que só o deus judaico-cristão, que se diz único, possibilita experiências pessoais.

      Excluir
    2. Apenas um esclarecimento sobre o argumento ontológico utilizado por WL Craig. Esse argumento, de fato, foi proposto por Alvin Plantinga. O argumento, em versões simplificadas, aparece como “se Deus é possível, então ele existe necessariamente”. Na verdade, é um pouco mais complicado do que isso. De fato, a conclusão é viável (i.e, está correta tecnicamente) se utilizarmos lógica modal, adotarmos a premissa “S4” (não vou explicar isso aqui) e, além disso, adotarmos uma definição específica de Deus, isto é, de que ele “é um ser necessário". Em lógica modal + S4, um "ser necessário", se existe possivelmente, existe necessariamente. Porém, como Chris Hallquist esclarece nos dois links abaixo, quando adotamos S4 como premissa, devemos ser parcimoniosos com definições de seres “necessários”, pois, caso contrário, podemos trazer qualquer coisa à existência, simplesmente manipulando sua definição. De fato, o argumento ontológico é falacioso, mas a razão para isso é um pouco mais elaborada do que parece à primeira vista. Mais informações nos links abaixo (em inglês):
      http://www.uncrediblehallq.net/2010/03/08/craig-on-the-ontological-and-leibnizian-cosmological-arguments/
      http://www.uncrediblehallq.net/2011/12/12/why-alvin-plantingas-ontological-argument-isnt-even-halfway-good/

      Excluir
    3. Eu acho super necessária a existência de unicórnios alados. Imagina só que legal poder voar num bicho movido a mato?

      Excluir
  14. Poxa cara, estou surpreso como você conseguiu refutar os Argumentos de Craig com seus argumentos "profundos". Acho que você deveria marcar um debate com ele e expor seus argumentos brilhantes... pena que você falácias em seus argumentos. Por ex. Sua refutação em relação ao argumento 5... 50% ad hominem. Reveja seus conceitos meu caro... não é pq a opinião é sua que ela é CORRETA

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Felippe, é só marcar o debate. Mas vamos precisar de tradutor. Meu inglês tá bem "more or less". Quanto ao argumento 5, desculpe o ad hominem, não resisti. Vamos lá: "a possibilidade da existência de deus implica sua existência". Mas qual é a possibilidade? E qual é a possibilidade de ser o judaico-cristão? Isso ele não fala. A possibilidade de haver vida inteligente fora da Terra implica em haver vida inteligente fora da Terra? Possibilidade não é fato. É possível, mas não significa que seja verdadeiro. Assim como é possível você atravessar a rua de olho fechado e ser atropelado, há também a possibilidade de você não ser atropelado. Continua no campo da possibilidade, não da realidade. Fui mais claro?

      Excluir
    2. Felipe, os argumentos de WL Craig são, de fato, péssimos. Qualquer estudante de lógica/filosofia pode refutá-los sem muita dificuldade. Tenha em mente uma coisa: é muito fácil fazer discurso e obter o aplauso de uma plateia de pessoas que já concordam com sua visão de mundo. É isso (e somente isso) o que Craig faz. Seus (dele) argumentos só são levados a sério por pessoas com pouco ou nenhum preparo em filosofia/argumentação lógica. Penso que todos esses argumentos tentando provar que Deus existe (ou o contrário) são vãos. Os crentes não precisam (nem nunca vão precisar) de provas e nem sequer vão considerar os argumentos contras suas posições. Ateus e agnósticos tendem a ser mais abertos, mas o fato é que nunca foram convencidos pelos argumentos existentes. E, acrescente-se, todos os argumentos que Craig usa já foram refutados de 100 maneiras diferentes. Acredito que provas (no sentido lógico) da existência da Deus não existem e nem nunca vão existir. Se Kant estiver correto (e é difícil refutar seus argumentos, explicitados no “Crítica da Razão Pura”), não é possível “provar” que Deus existe. Nem o contrário. Indo um pouco mais além, se o teorema da incompletude de Kurt Gödel estiver correto (e ele foi provado matematicamente!), nunca vai ser possível ter certeza de absolutamente nada. Todo sistema, independente do tamanho, sempre vai precisar de axiomas (afirmações aceitas como verdadeiras sem demonstração) e também, sempre vão existir coisas que não poderão ser decididas (ter sua validade avaliada) dentro do sistema [http://pt.wikipedia.org/wiki/Teoremas_da_incompletude_de_G%C3%B6del]. Ou seja, nosso conhecimento é e sempre será, necessariamente incompleto.

      Excluir
  15. Seguindo as Regras de Uso me declaro deísta.
    Se você quer refutar um argumento, você deve analisar cada premissa dele e mostrar em qual ele errou, o vídeo que você colocou é só uma explicação rápida do Craig, ridicularizar qualquer argumento para refutá-lo é algo desprezante.

    ResponderExcluir
  16. Resumindo: Craig prova tudo, menos que o deus cristão dele existe.

    ResponderExcluir
  17. Resumindo: Craig prova tudo, menos que o deus cristão dele existe.

    ResponderExcluir

Regras de uso:
1) Desde que não tenha palavrões, ofensas ou propagandas, nenhum comentário será apagado;
2) Diga primeiramente qual fé religiosa você professa (ateu, agnóstico, católico, evangélico, budista, judeu, muçulmano, etc) para facilitar a interpretação do seu texto;
3) Tente manter a discussão no nível das ideias. O objetivo é compreender (não necessariamente aceitar);
4) Obrigado por participar!