segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Argumentos para existência de um deus já refutados

Um católico essa semana postou no meu Twitter alguns "argumentos" que "provariam" a existência do deus da religião dele. Fiz uma rápida pesquisa na internet para ver se esses "argumentos" já não tinham sido refutados. BINGO! Compilei aqui uma lista deles (aceitando mais contribuições...)

Argumento ontológico REFUTADO! http://www.diariodeunsateus.net/2014/06/16/o-argumento-ontologico-2/

Cinco vias de São Tomás de Aquino REFUTADAS! https://projetosintropia.netlify.com/as_cinco_vias_refutadas

Argumento da Imagem e Semelhança (nunca ouvi falar nesse argumento. Está se referindo ao versículo "e deus fez o homem à sua imagem e semelhança"?) Mas tá aqui um texto interessante: https://www.facebook.com/BarDoAteu/posts/imagem-e-semelhan%C3%A7a-de-quemnani-nascimentodeus-criou-a-humanidade-e-depois-de-un/432027120251386/

Argumento universalista REFUTADO! http://renatovargens.blogspot.com/2013/11/minha-refutacao-ao-universalismo.html

Argumento da Lei Moral REFUTADO! http://religiaoeateismo.blogspot.com/2015/04/refutando-o-argumento-moral-erros-de.html

Argumento psicológico? Sério que isso é argumento? Visão pessoal do pessimista Agostinho de Hipona. Nunca é um argumento racional!

Argumento histórico-cultural - também não é argumento, já que cada país tem história e culturas diferentes. E nem sempre o que é tradição é certo.

Argumento arquetipal-junguiano - também não é argumento. Os arquétipos correspondem ao conjunto de crenças e valores comportamentais básicos do ser humano. Podem se manifestar nas crenças religiosas (quaisquer delas!), mitológicas (religiões incluídas) ou no comportamento inconsciente do indivíduo. Jung acreditava que Deus "poderia ser visto como uma personificação do inconsciente coletivo não integrada". Citações do próprio Jung. A Psicologia Analítica, criada por Jung, rege que a crença em deuses nada mais é do que projeção de conteúdos psíquicos sobre os quais o ego desconhece. https://www.bonde.com.br/colunistas/mitos-e-sonhos/a-questao-de-deus-para-jung-185671.html

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Músicas de ateu (em português)

Titãs - Igreja
https://www.youtube.com/watch?v=7yjpY1GWKm8

Titãs - Deixa eu Entrar
https://www.youtube.com/watch?v=SfAtgUKEDLk

Raul Seixas e Marcelo Nova - Pastor João e a Igreja Invisível
https://www.youtube.com/watch?v=z5UU7cRhOKM

Gabriel Pensador - 2345meia78
https://www.youtube.com/watch?v=67Wb4lIxrXE

Raul Seixas - Gospel
https://www.youtube.com/watch?v=yREj030tEIg

Vespas Mandarinas - Não Sei o Que Fazer Comigo
https://www.youtube.com/watch?v=DW66_NEQ4WI

Legião Urbana - Índios
https://www.youtube.com/watch?v=nM_gEzvhsM0

Mais alguma sugestão?

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Bandido bom é bandido morto?

"Jesus passou a vida arrumando treta por questões sociais. Defendeu assassino, ladrão, puta, pobre e leproso.

Juntou uma galera pra defender a causa. Começou a fazer barulho. Conquistou o desafeto da classe média e da elite (ponto pro cara).

Considerado subversivo, foi preso pelo Império.

A classe média pedia pena de morte, mas o crime não a justificava. Pôncio Pilatos jogou o b.o. pra Herodes. Herodes se ligou na mesma coisa e devolveu o b.o..

Pilatos deixou pra galera decidir. Bem pensado, porque desde aquele tempo, o povo já tava cheio de dateninha linchador.

O cara foi executado ouvindo piadinha de justiceiro.

E não foi morto "entre" bandidos. Foi executado pelo Estado COMO bandido - subversivo, que de fato era.

Enfim, o messias cristão foi um sujeito engajado em questões sociais, executado como bandido pelo Estado sob os aplausos dos justiceiros.

Então, Jesus, se você estiver lendo isso e pensando em voltar, fica esperto.

Essa "gente de bem"

Post original aqui.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

Refutando o "falso profeta" @padre_paulo Ricardo e seus argumentos contra identidade de gênero

Resposta ao texto "Sexo ou Gênero", que pode ser lido no link:

https://padrepauloricardo.org/episodios/sexo-ou-genero

A cara do "amor" cristão
Achei o texto do Paulo Ricardo um pouco exagerado. Vejamos alguns pontos:

"A palavra gênero é apenas uma forma delicada de expressar o sexo biológico"
- Não é. Trata-se da identidade sexual da pessoa, que pode diferir da identidade biológica.

"Para o movimento feminista a palavra tem outra conotação"
- Não só para o feminista. Para o humanista também.

"Cuja identidade cada um é responsável por forjar"
- E não é? Se não é, quem forja a identidade e as preferências de alguém se não a própria pessoa?

"pessoas pretensamente intelectualizadas"
- Então as maiores lideranças da ONU não são de fato intelectualizadas?

"destruindo a estrutura familiar natural"
- Os textos sobre o assunto em nada mencionam a família. Tratam apenas de preconceito. Toda vítima tem uma família, logo, o texto defende a família, que sofre junto com a vítima.

"toda e qualquer espécie de perversão sexual"
- Outro exagero. Chamar amor entre iguais de perversão é complicado. Se é amor, não pode ser perverso. Amor é amor.

"agenda marxista revolucionária"
- Li todo o Manifesto Comunista de Karl Marx e em nada menciona a sexualidade. O Marxismo trata apenas de um sistema político-econômico. Não é cultural.

"O projeto...adiciona como agravante do crime o preconceito de (...) orientação sexual e identidade de gênero"
- E está errado? Podemos continuar considerando o preconceito como algo válido? Se até Jesus disse "não julgueis"?

"luta contra a ideologia de gênero"
- Por que ser contra? Ainda não entendi. Quem tem uma identidade sexual "A" deve ser respeitado, assim como quem tem uma identidade sexual "B", assim como quem não tem identidade sexual nenhuma, como os padres. Qual o problema?

"a destruição da família tradicional"
- De novo, em momento algum o texto fala em destruir famílias. Pelo contrário. O preconceito é que destrói. O texto fala em protegê-las, sobretudo aquelas com pessoas vítimas de preconceito.

"à luz da doutrina da Igreja a complementaridade afetivo-sexual do homem e da mulher é uma questão de direito natural"
- Direito, não um dever!

"é impossível atentar contra a instituição do casamento"
- A identidade de gênero não diz nada contra casamento. Pelo contrário. É a favor do casamento. De qualquer pessoa com qualquer pessoa.

"sem que se destrua a sociedade"
- Mas é o preconceito que destrói a sociedade.

"declara guerra à própria natureza humana"
- O que é a natureza humana? Naturalmente nascemos pelados. Nem por isso vivemos pelados.

"Os ideólogos de gênero querem destruir a família"
- Com qual objetivo? Por que iriam querer isso se todos eles vieram de uma família?

"esta coalizão maligna"
- Epa. Exagerou! Só porque é um pensamento diferente, não significa que é do mal. Lutar contra o preconceito é do bem.

"aos textos que ela engendra, por exemplo, na ONU"
- Então você discorda da ONU, é isso?

"este trabalho demoníaco"
- Dicotomia forçada aqui. Eu poderia dizer que demoníaco é o preconceito. Lutar pela igualdade e o fim do preconceito é seguir a Cristo.

"Com os cristãos, ao contrário, está a verdade"
- Epa! Discurso xenófobo e preconceituoso, desconsiderando todas as demais crenças. Pra algo ser considerado verdadeiro, é preciso que seja provado empiricamente. Caso contrário, não passa de pura questão de fé. Cada religião diz que a verdade está consigo. É preciso que haja um discurso único, que atenda a todos, indistintamente e independente de crença religiosa.

"fora de cujo conhecimento nenhum homem pode ser genuinamente livre"
- Então só os cristãos são livres? Quem não é cristão está preso? Achei o comentário prepotente e arrogante.

quinta-feira, 23 de julho de 2015

Vídeo do barbeiro ateu refutado

Vídeo do barbeiro ateu refutado Primeiro, assista ao vídeo original:

 

 O vídeo abaixo do Salatiel Júnior faz isso muito bem, mas deixa só eu fazer uma analogia com o roteiro do vídeo original:
 


Um hindú entra num barbeiro cristão na Índia.
O barbeiro cristão diz que Shiva não existe e dá os mesmos argumentos.
O hindú, já com cabelo cortado, sai do barbeiro e vê um cabeludo.
Volta, chama o barbeiro cristão e diz:
- Tá vendo o cabeludo? Isso prova que barbeiros cristãos não existem.

Pronto! Agora substitua "barbeiro cristão" por qualquer outra crença ou profissão. Todos sabem que eles existem, né? Cortar ou não o cabelo é direito de cada um e ter cabelo grande não condena o cabeludo pro inferno. Não tem cagação de regra ameaçando cabeludos. Pode ser que, quando passar no vestibular, o cabeludo raspe o cabelo, mas depois de um tempo deixe crescer de novo. Pode ser que ele nem corte no barbeiro. Ele mesmo pode cortar ou alguém passar máquina zero no cabelo dele.

O cliente podia não ser hindú também. Podia ser adepto da religião do monstro do espaguete voador que vive atrás do sol e fazer a comparação com o cabeludo e o barbeiro. Isso não provaria que existe o monstro do espaguete voador que vive atrás do sol.

Enfim: mesmo o barbeiro existindo, ninguém precisa dele pra nada, a não ser pela conveniência mediante pagamento.

Opa! Agora vi semelhança entre a crença em deus e o barbeiro: conveniência mediante pagamento!

terça-feira, 21 de julho de 2015

6 motivos para acreditar que o Padre Fábio de Melo @pefabiodemelo é (quase) um ateu



1) Apoia a laicidade do Estado 

 Padre Fábio de Melo faz defesa da separação entre Estado e Igreja

2) Defende a união civil gay 

 No Twitter, padre Fábio de Melo defende união civil gay

3) Acredita que fé não define caráter 

Padre Fábio Melo reconhece que o descrente não é necessariamente uma má pessoa! 
4) É contra a idolatria à Maria

Padre Fabio de Melo critica idolatria a Maria e namora os crentes

5) É evolucionista




6) Elogia os ateus